Pontos deVistas

A fotografia é um texto, com apenas uma palavra.

Muralhas do tempo Anterior Seguinte

Muralhas do tempo

       Anterior Seguinte       

#Landscape

Em terras ermas, existe um velho campanário
cercado pelas muralhas do tempo e rodeado pelas pegadas do vento
Ali é moradia dos sinos, que foram ali esquecidos, e não foram destruídos pela intempérie do tempo
Muito raramente eles tocam... tocam... tocam
uma suave melodia que ecoa, pelas ravinas desperta a madrugada, que dorme aconchegada nos braços do silêncio
Porque os sinos tocam?
Talvez para anunciar um novo dia, que se abre numa névoa fina, invade estradas vazias com seu som melodioso
E quando os sinos tocam, até os pássaros se calam, quando ressoam os badalos dos sinos do campanário
porque ou por quem os sinos tocam?
Só o vento sabe a resposta.

Poema «Porque os sinos tocam?» de Cristiane Coradi.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2150
Publicação: 2014-04-26
Grupo: Paisagens
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 9
Distância focal: 20 mm
Velocidade do obturador: 1/320 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Erectas, mas inclinadas Chega a Miranda, vê a Sé e anda Nem terra, nem céu e nem nada Prato do dia Zambujeiros e oliveiras Rinoceronte cor-de-rosa No silêncio dos mosteiros Quando não houver pontes

  Escolha da semana

Gootchaï's Photoblog: Rencontre improbable
Gootchaï's Photoblog: Rencontre improbable

  Comentários

Existem 17 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Photo Attraction
em 2014-04-26 08:50:39

Bonitas cores e enquadramento.
O céu é a "cereja"...

02
Gravatar Ana Lúcia
em 2014-04-26 10:50:53

Que conjunto! Ia jurar que ouvi os sinos tocarem.

03
Gravatar Manu
em 2014-04-26 11:07:06

E um novo dia surgiu através dos muros, vislumbrando-se um céu que nos enche de esperança e talvez um dia ouçamos os sinos tocar.
Excelente foto Remus!

04
Gravatar João Menéres
em 2014-04-26 11:58:33

Por amores perdidos.

05
Gravatar Paulo César Silva
em 2014-04-26 12:26:38

excelente enquadramento e bonitas cores... assim "a atirar à sorte" diria que é algum castelo lá p'rás Beiras...

06
Gravatar Adrian Laroque
em 2014-04-26 14:33:15

Excelente foto!

07
Gravatar Willem
em 2014-04-26 18:53:40

This wonderful bright vista between rocks beautifully photographed.

08
Gravatar Elisa Fardilha
em 2014-04-26 19:20:48

Das ameias do castelo, esperando...

Uma foto genial!

Beijinhos.

09
Gravatar Ana Freire
em 2014-04-26 22:16:59

É de quando os sinos tocam?
E posso dizer a frase? Com JFC, quem fica Kniphobico é você...
Em relação à foto... É uma foto à Remus, com azuis, simetrias, e paisagens fabulosas pelo meio... Não me parece zona de Beira Alta por haver pouco verde... vou apostar em Beira Baixa...
Nem uma nuvem fora do sítio... o que é absolutamente deprimente para o comum dos mortais... como mim.
Mais uma foto fantástica, e acho que tá tudo dito.
Bjs
Ana

10
Gravatar Clarice
em 2014-04-26 23:49:22

Eu não sou vento :) nem ventania :) mas sei que os sinos tocam quando existem por aqui fotografias ENERVANTES!!!

11
Gravatar Roadrunner
em 2014-04-28 14:29:00

Felizmente existem ainda muitas muralhas destas em Portugal. Bela foto.

Saudações!

12
Gravatar Oldshutterhand
em 2014-04-30 06:19:13

Well framed landscape.

13
Gravatar Jéfferson Cezimbra
em 2014-04-30 16:34:53

Cansei!!!!!
Não vou falar mais nada rsrsrsr
Não falo que gosto desse azul.
Não falo que as nuvens foram a cereja do bolo da imagem.
Não falo da paisagem que é estonteante.
E por fim não falo que a composição da imagem me agradou demais.
Então,mais não digo....
Abraço

14
Gravatar Dida
em 2014-05-01 21:59:32

"Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.
"Por quem os sinos dobram" - Ernest He­mingway - invoca o absurdo da guerra, mormente a guerra civil, travada entre irmãos.

Portanto Remus quando eles tocam, não é só o vento que sabe por quem, todos sabemos também.

Perdoa o testamento.

Sobre a foto? Adorei. É inspiradora. Não lhe encontro defeitos.

Não sei porq

15
Gravatar Lis
em 2014-05-04 02:54:38

Digamos, romântica Remus
Simples e linda!

16
Gravatar Remus
em 2014-05-09 13:08:19

Estou muito grato pelas vossas palavras de apreço.

Paulo César Silva e Ana Freire: Nopes... É mais para norte. A fotografia foi realizada em cima das muralhas do castelo de Bragança.
Willem and Oldshutterhand: Thank you.
Dida: Pode escrever os "testamentos" que bem entender. Da minha parte tem total carta branca. ;-)

17
Gravatar Alex
em 2014-06-03 22:56:51

muito gira! uma paisagem de cortar a respiração