Pontos deVistas

Para ver claramente, basta mudar a direcção do olhar.

Senta-te aqui, fala comigo Anterior Seguinte

Senta-te aqui, fala comigo

       Anterior Seguinte       

#Black&White

As palavras fazem
sentido (o tempo que levei até descobrir isto!),
um sentido justo,
feito de mais palavras.
(A impossibilidade de falar
e de ficar calado
não pode parar de falar,
escrevi eu ou outro).

Volto a casa.
ao princípio,
provavelmente um pouco mais velho.
As mesmas árvores,
mais velhas
a lembrança delas
passando sem tempo nos meus olhos,
como uma ideia feita ou um sentimento.

Entre o que regressa
e o que partiu um dia
ficaram palavras;

talvez (quem sabe?)
algum sentido.

Agora, como um intruso, subo as
escadas e abro a porta; e entro, vivo,
para fora de alguma coisa morta.

Senta-te aqui, fala comigo,
faz sentido
e totalidade à minha volta!

Poema de Manuel António Pina.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2197
Publicação: 2014-06-27
Grupo: Preto e Branco
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 6.3
Distância focal: 17.5 mm
Velocidade do obturador: 1/500 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Verde mar antigo Prato do dia Tricomas Tu és responsável pela tua rosa Psitacídeo Quando não houver pontes Há mais em nós Armadilhanço

  Escolha da semana

Arco-Íris Reloaded: O dia em que escolhi amar-te
Arco-Íris Reloaded: O dia em que escolhi amar-te

  Comentários

Existem 18 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Jarek
em 2014-06-27 09:35:06

Beautiful poem + nice photo = super post

02
Gravatar Questiuncas
em 2014-06-27 10:19:03

Podias colocar a pior fotografia que alguma vez foi tirada, mas mesmo assim só diria maravilhas.
Tenho pelo Pina uma enorme admiração (desculpem-me, mas mesmo sem nunca o ter conhecido é assim que o trato).
Todos os dias era de leitura obrigatória a última página do JN onde ele tinha uma crónica, sempre certeira e acutilante.
Já para não falar no que escreveu para as crianças.
Infelizmente, deixou-nos cedo demais.
A opção pelo pb acho que está fantástica, nem quero saber como seria a cores, gosto assim.
Desculpa desta vez falar pouco da fotografia e muito mais do texto, mas o Pina é o Pina.

03
Gravatar João Menéres
em 2014-06-27 11:55:18

Além de ter escrito o texto para o catálogo de uma exposição minha na Árvore, teve a maçada de vir aqui a casa para ver os trabalhos.
Ofereceu-me dois livros e era leão como eu.

Conversar com ele era um imenso prazer e uma permanente aprendizagem.

Ah, A CADEIRA!...
Já lá vou sentar-me que está um solzinho agradável!

04
Gravatar Manu
em 2014-06-27 15:20:14

Uma composição fantástica, adorei as diferentes texturas, madeira e rocha combinaram muito bem. Apetece ficar sentada ali.
Gostei do poema escolhido do Manuel António Pina e se era leão, só podia ser boa pessoa :P

05
Gravatar Elisa Fardilha
em 2014-06-27 20:35:08

Sentei-me na cadeira a ler o magnífico poema!

A foto está DIVINAL! O P&B favoreceu-a!

Beijinhos.

06
Gravatar Dida
em 2014-06-27 21:19:32

As fotos de Nós crianças ou família eram a P&B. Invariavelmente aparecia uma cadeira com uma boneca e acriança de pé ou, se era foto de família, duas cadeiras com os patriarcas e clã à volta. Porquê? Não faço ideia.
Foi o que me fez recordar esta foto.
Está fantástica.

07
Gravatar Paulo César Silva
em 2014-06-27 22:07:01

Adoro esta foto... não sei bem porque... acho que falta mais qualquer coisa, acho que existe uma história de mistério por detrás da imagem... e fico com uma sensação de nostalgia! talvez pelo formato antigo da cadeira, ou pelas pedras retratadas neste fantástico p&b... excelente! vou voltar cá para revê-la!!!

08
Gravatar João Menéres
em 2014-06-27 23:50:15

As linhas verticais que são visíveis à esquerda (e que não consigo definir exactamente o que são) transmitem uma força enorme à imagem e jogam com as linhas verticais da cadeira.
Depois, a sensação do vazio, também é muito impressiva, REMUS!

09
Gravatar Ana Freire
em 2014-06-28 01:33:19

Já tentei... e recusou-se.
Pura e simplesmente, o meu computador não me liga nenhuma, e só faz o que bem entende.
Por isso, acho que vou aproveitar a cadeirinha e ficar a falar para as pedras, da foto... Para ir treinando... porque calculo que amanhã, o meu computador me irá continuar a deixar falar sozinha... com o problema dos comentários, que se mantém...
Excelente foto, excelente título, e excelente poema, Remus.
Melhor combinação seria impossível.
Um verdadeiro "hat trick".
Bom fim de semana. Por estes dias, verei se continuarei a poder deixar, por aqui comentários, pois como já deixei noutro meu comentário, por aqui, já não estão a passar em certos blogs.
Beijos
Ana

10
Gravatar Jéfferson Cezimbra
em 2014-06-28 22:09:37

Bela composição. P&B foi uma escolha acertada na minha opinião e além de tudo, a imagem dá margem para várias interpretações e isso é muito significativo em uma fotografia.
Parabéns Remus.
Abraço

11
Gravatar Ana Lúcia
em 2014-06-29 10:51:53

O que fará uma cadeira nesse sítio? Talvez pertença a algum escritor que aproveita o calor do sol e escreve poemas para o Remus...

12
Gravatar Roadrunner
em 2014-06-29 15:48:09

Muito boa foto. A escolha do p & b foi acertada.

Saudações!

13
Gravatar Rute
em 2014-06-29 19:11:41

Como eu gostava desse senhor, era um exímio escrito e poeta. E como eu gosto desta fotografia, está uma composição de artista!Grande post
Beijinhos

14
Gravatar Crashryan
em 2014-06-30 21:25:08

lol... nicely framed! cool place for a chair!

15
Gravatar Omar
em 2014-07-01 11:47:01

wow, great one, like it!

16
Gravatar Alex
em 2014-07-01 18:49:04

imagem perfeita. texto perfeito. ambas as coisas: perfeitas ao quadrado.

17
Gravatar Remus
em 2014-07-09 10:42:12

Estou muito grato pelos vossos comentários. Eles são sempre muito importantes e uma parte fundamental.

Jarek, Crashryan and Omar: Thank you.
Ana Lúcia: Essa é a grande questão. Ainda para mais, tendo em conta que era um sitio em ruínas.

18
Gravatar Ana Lúcia
em 2014-07-09 21:08:48

:) Sendo assim podemos de facto fantasiar...