Turvo clarão Anterior Seguinte
Turvo clarão

f AnteriorSeguinte e

Até agora já existem 11 pontos de vista.
Comentar
01
Rute
em 2015-04-11 19:58:40

Gosto muito da poesia do Bocage... turvas palavras para uma imagem de efeito rodopiante e "turvo clarão". gostei muito, o amarelo é uma cor da Primavera e do verão.
1 beijinho

02
Manu
em 2015-04-11 20:36:37

Uma explosão de cor que resultou muito bem. O efeito ficou surpreendente :)

03
Elisa Fardilha
em 2015-04-12 11:30:44

Uma verdadeira explosão de vida!

Genial foto!

Beijinhos.

04
Willem
em 2015-04-12 12:30:53

Very well done, a superb photo as result.

05
Photo Attraction
em 2015-04-13 09:22:43

Eia!
Gosto!!

06
Paulo César Silva
em 2015-04-13 20:52:28

excelente efeito... quase fiquei hipnotizado!!! depois era só pedir o presunto que ele aparecia!!! :)

07
Lis
em 2015-04-14 19:35:55

Que a primavera continue assim, num zoom explosivo!
Ficou chocante, Remus

08
Ana Lúcia
em 2015-04-15 20:08:03

UI!!! Piquei-me!!!!!!!!!!!!!!!!
Sinceramente, sr. Remus!!!!

09
Alex
em 2015-04-15 21:09:32

mas que bem... adepto dos zoom in-zoom out.. :)

gosto muito... ficou deveras interessante

10
Roadrunner
em 2015-04-16 22:11:50

Muito boa!!!

11
Remus
em 2015-04-27 13:00:13

Estou muito grato pelos vossos comentários. Eles são sempre uma peça fundamental destes pontos de vistas.

Willem: Thank you.
Paulo César Silva: Já que fala nisso: O presunto afinal vem ou não vem? ;-)

Comentar

 

Tu, vã Filosofia, embora aviltes
Os crentes nas visões do pensamento,
Turvo clarão de raciocínios tristes
Por entre sombras nos conduz, e a mente,
Rastejando a verdade, a desencanta;
Nem doloroso espírito se ilude,
Se o que, dormindo, creu, crê, despertando.
Até no afortunado a vida é sonho
(Sonho, que lá no fim se verifica),
E ansioso pesadelo em mim, que a choro,
Em mim, que provo o fel da desventura,
Desde que levantei, que abri, carpindo,
Os olhos infantis à luz primeira;
Em mim, que fui, que sou de Amor o escravo,
E a vítima serei, e o desengano
Da suprema paixão, por ti cantada
Em versos imortais, como o princípio
Etéreo, criador, de que emanaram.

Poema «Tu, Vã Filosofia» de Manuel Maria Barbosa du Bocage.


Partilhe:

 

Informação técnica

#2416 • Publicação: 2015-04-11
Grupo: Experiências
Máquina: NIKON D90
Abertura: f 18 • Distância focal: 55 mm
Velocidade do obturador: 1/25 sec
Flash: Não Disparado


Já viu estas fotografias?

AmadiaSombras errantesPequena PrimaveraMeu quarto
Deixa-me guiar-teDebaixo da ponteFeliz PáscoaValorização do telemóvel


Escolha da semana

Questiuncas: A estudar
Questiuncas: A estudar


Ver outras escolhas da semana


As fotografias publicadas neste sítio, não poderão ser copiadas, alteradas ou distribuídas sem a autorização expressa do autor.
No images, may be reproduced, retransmitted or distributed in any way, without the prior express permission of the author.
2004 - 2015 © Pontos de Vistas
Google+
Facebook
Flinpo
Photoblogs
Coolphotoblogs
Coolphotoblogs PdV