Pontos deVistas

Para ver claramente, basta mudar a direcção do olhar.

El Rei D. Pedro V Anterior Seguinte

El Rei D. Pedro V

       Anterior Seguinte       

#Black&White

Filho primogénito de D. Maria II e de D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gota, nasceu em Lisboa em 16 de Setembro de 1837 e aí também morreu em 11 de Novembro de 1861, contando pouco mais de vinte e quatro anos. Foi o trigésimo primeiro rei de Portugal, ficou conhecido pelo cognome de "O Esperançoso" ou "O Muito Amado".
Sucede ao trono de Portugal, pelo falecimento de sua mãe, que morre com apenas 34 anos de idade, em 15 de Novembro de 1853. D. Fernando II governa o reino na qualidade de regente durante a menoridade de D. Pedro V (na altura da morte da sua mãe ele só tinha 16 anos). Durante os dois anos da regência de seu pai, D. Pedro viaja com o seu irmão D. Luís pela Europa, conhecendo, estabelecendo e reforçando as relações diplomáticas. Em 16 de Setembro de 1855, ao completar 18 anos, é aclamado rei e presta juramento perante as Cortes Gerais, dedicando-se desde logo com total devoção aos negócios públicos. Casou em 29 de Abril de 1858 com D. Estefânia de Hohenzollern-Sigmaringen, que viria a morrer passado pouco mais que um ano.
Apesar de atormentado por constantes dificuldades, quer na vida pública quer na privada (as epidemias de cólera-morbo e de febre amarela que assolaram a região de Lisboa, as grandes inundações, a morte da rainha), D. Pedro consegue dar uma certa estabilidade à vida política portuguesa.
Foi ele que aboliu por completo o beija-mão, etiqueta palaciana que era um dos restos legados pela soberania absoluta, e recusou-se a confirmar a pena de morte. Não queria ver os cidadãos a dobrarem o joelho na sua presença, porque essa vénia só pertence à Divindade. Entendia que a cerimónia do beija-mão era um acto de servilismo indigno de todo o homem que se preza, como entendia que à justiça humana unicamente compete corrigir os delinquentes, pela reclusão e pelo trabalho, para os restituir à sociedade, purificados e úteis.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2473
Publicação: 2015-06-25
Grupo: Preto e Branco
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 6.3
Distância focal: 17.5 mm
Velocidade do obturador: 1/750 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Levi's Peça de museu Altos-relevos Envoltos numa capa Keep on moving Já viram um homem em pêlo? CMYK Um pouco das sombras serenas

  Escolha da semana

Arco-Íris Reloaded: O dia em que escolhi amar-te
Arco-Íris Reloaded: O dia em que escolhi amar-te

  Comentários

Existem 13 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Elisa Fardilha
em 2015-06-25 18:36:31

Uma bela estátua/foto, legendada por uma aula de história!

Beijinhos.

02
Gravatar Willem
em 2015-06-25 18:49:57

Beautifully captured and as always a fine conversion.

03
Gravatar Pat
em 2015-06-25 20:40:21

He is serious King!! beautiful gray tone

04
Gravatar Oldshutterhand
em 2015-06-26 07:27:41

Long live the king even in marble. Nice tones.

05
Gravatar Ana Lúcia
em 2015-06-26 07:52:19

High key?
Muito charmosa. :)

06
Gravatar Ana Freire
em 2015-06-26 11:22:52

Uma iluminada aula de história...
E uma brilhante foto... D. Pedro teria ficado vaidoso... e o Remus também pode ficar... com a sua excelente imagem...
Bom finde...

07
Gravatar Manu
em 2015-06-26 11:48:56

Gosto muito de relembrar "estórias" da História.
O rei até era bem jeitoso :P pena ter morrido tão cedo.
Um High Key excelente!
Deixo-lhe hoje um beijo na mão :)

08
Gravatar Lis
em 2015-06-27 03:20:32

Ineressante que os reis que conheço(?) normalmente são bem 'fora de forma'
e este D.Pedro está bem elegante! e bem relax _ é que era novinho demais! Gostei de ler e conhecer sobre ele.

09
Gravatar Paulo César Silva
em 2015-06-27 12:57:48

sem dúvida um monarca que seguindo a sua mãe e avô também defendeu a liberdade.
será que se ele não tivesse morrido tão novo hoje tínhamos a ponte Pedro V em vez da ponte Luiz I?! e como ficaria o ditado popular: "Na ponte D Luis acaba o pais"?! Será que tinhamos de passar a "fronteira" para outra ponte: "Na ponte de S. João acaba a nação"?!!

10
Gravatar Roadrunner
em 2015-06-28 22:23:13

Enfim, mais um monarca...

Saudações!

11
Gravatar Alex
em 2015-07-06 15:01:25

e se não me engano era este aparecia nas notas de mil escudos, umas azuis :)

12
Gravatar Jéfferson Cezimbra
em 2015-07-11 12:35:32

Foto muito ao meu gosto e muito feliz em saber um pouco mais sobre a história de Portugal e principalmente em saber que existiam reis preocupados com seu povo.
Abraço

13
Gravatar Remus
em 2015-07-15 15:15:57

Estou muito grato pelos vossos comentários.

Willem and Oldshutterhand: Thank you.
Pat: Merci.
Ana Lúcia: Sim. Penso que seja algo desse tipo. ;-)
Lis: Provavelmente porque ainda era novo...
Paulo César Silva: Nesse ditado já nem Vila Nova de Gaia conta? Ou será que essa contagem é feita no sentido sul-norte? :-D