Pontos deVistas

Nada pode nascer do nada.

Divisões que persistem Anterior Seguinte

Divisões que persistem

       Anterior Seguinte       

#Graphic

Um quarto de século após a queda do Muro de Berlim, episódio que simbolizou diminuição de fronteiras e a união dos povos, barreiras físicas ainda existem em diversos continentes. Aqui ficam cinco exemplos:

O Muro da Cisjordânia começou a ser construído em 2002, período da Segunda Intifada, e separa Israel do território palestino da Cisjordânia. Actualmente a parede de betão, ferro e arame farpado tem cerca de 440Km de extensão - se a construção da barreira for finalizada, cercando todo o território da Cisjordânia, o muro se estenderá para mais de 700Km.

Ceuta e Melilla são dois enclaves espanhóis em África e representam o resquício do colonialismo europeu no continente africano. Sob o domínio espanhol, as duas cidades fazem fronteira com o Marrocos. Até os anos 1990, a divisão entre os territórios espanhol e marroquino era pouco perceptível, e o trânsito de pessoas de um local para o outro era comum. Com a institucionalização da União Europeia e a política de livre-circulação dos cidadãos europeus, a Espanha foi incentivada a apertar o cerco nas suas zonas fronteiriças. Para isso, foram erguidos os muros, que chegam, juntos, a 20Km de extensão, com o objectivo de impedir a imigração de africanos para a Europa.

O muro construído pelos Estados Unidos na fronteira com o México é o símbolo da política anti-imigração norte-americana. Com os ataques de 11 de Setembro de 2001, os EUA apertaram ainda mais o cerco, temendo que terroristas pudessem entrar em território norte-americano via México.

A fronteira entre a Turquia e a Grécia era tida pela União Europeia como a "porta dos fundos" para a entrada de imigrantes na Europa. Por esse motivo, a Grécia resolveu investir mais de 3 milhões de euros para erguer em 2012 um muro com cerca de 10Km de extensão ao longo de um trecho da margem do rio Evros, fronteira natural que separa o território europeu dos vizinhos turcos.

Percorrida ao longo do Paralelo 38, a faixa de terra que divide a península coreana em dois países tem 250Km de comprimento. Após o armistício que interrompeu, sem pôr fim formal à guerra entre os dois lados, a porção de território foi transformada em uma zona desmilitarizada. Ou seja, uma faixa "neutra" onde militares das duas Coreias podem transitar, mas sem nunca cruzar a linha que demarca o território de cada um dos países.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2533
Publicação: 2015-09-12
Grupo: Grafismos
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 4
Distância focal: 6.3 mm
Velocidade do obturador: 1/500 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Escolhe uma porta Juventude Não há guarda-chuva Cabrão Café + Sudoku A luz do pecado Dia do Blogue Platibanda

  Escolha da semana

In' Pression a LUZ: {speechless}
In' Pression a LUZ: {speechless}

  Comentários

Existem 13 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Willem
em 2015-09-12 17:19:15

Well spotted and beautifully photographed this fence shadows.

02
Gravatar Ana Freire
em 2015-09-12 20:43:38

E a bom ritmo... vai o muro da Hungria com a Sérvia...
Símbolo máximo do orgulho, que é pertencer à desilusão europeia...
E o caminho... parece ser mesmo esse, cada um dos países, erguer os seus muros... não tarda nada... quando o extremismo começar a surgir numa Europa desindustrializada... que cada vez terá menos a oferecer aos europeus... e será incapaz de absorver êxodos bíblicos, aos milhares por dia... como os que se continuarão a verificar...
Não faltará muito, certamente, quando Berlim estiver a rebentar pelas costuras, nos próximos meses... para se começar a defender o princípio de que... os muros, libertam-nos... de problemas... para além de os esconderem...
Gosto do caminho, na imagem... que persiste... por entre as sombras criadas pelas estruturas metálicas... adequado ao tema... Excelente escolha do ângulo!

03
Gravatar João Menéres
em 2015-09-12 23:37:29

ANA FREIRE : Parabéns e um beijo.
Para o REMUS, um abraço e os parabéns pelo texto e pela imagem de uma precária barreira que traduz perfeitamente o sentimento dos que aprovam tal solução e o outro lado que tem receio (talvez acertadamente) dos graves problemas que esta migração nos (à Europa) pode trazer mas que não ficam insensíveis ao drama dos verdadeiramente inocentes.

04
Gravatar Alex
em 2015-09-12 23:51:56

numa altura em q de muros e divisões de 4m cheios de arame farpado, se fala, esta imagem vem mto a propósito... que e levantem as barreiras, pq é de pessoas q se fala... seres humanos... mas q se ataque o "problema" na sua base... se questione o pq desta fuga em massa (alias, sobejamente conhecida, vá... não fosse uma guerra..) e se resolvam diferendos e cenas para que esta gente posso regressar em viver em paz na sua terra...

05
Gravatar Adrian Laroque
em 2015-09-13 15:29:40

Sol e sombra, gostei!

06
Gravatar Elisa Fardilha
em 2015-09-13 16:23:36

Nunca gostei de muros. Sinto-os como inibidores da liberdade.

Excelente e oportuna foto!

Beijinhos.

07
Gravatar Manu
em 2015-09-13 19:25:24

A foto está mais que ajustada ao texto.
As sombras são a mostra do que mais há de inacreditável existe nos muros que ainda existem por esse mundo, que se quer unido e em paz. Infelizmente as barreiras económicas, os conflitos religiosos e as diferenças nas estratégicas fazem com que se continuem a ver muros ao invés de pontes que possam unir todos os seres humanos para a construção do bem comum...a paz!

08
Gravatar Kok
em 2015-09-13 23:11:46

Olá pá! Embora "tarde e a más horas" venho agradecer a visita que fizeste ao meu blog das fotos, visita que só à momentos li porque é um blog onde raramente "entro".
Deixo-te um abraço e sorrisos porque sorrir é importante!

09
Gravatar Kok
em 2015-09-13 23:17:46

E sobre os muros? Não gosto! São uma forma básica e estúpida de deixar de fora quem detestamos e de manter dentro quem não gosta de nós.
Nesta perspectiva ocorre-me questionar:
-porque razão têm muros os cemitérios?
Akele abraço pah!

10
Gravatar Lis
em 2015-09-14 03:19:29

Lamentável tudo isso que estamos vivendo.
Imagina atravessar mares carregando filhos e o que sobrou numa sacola fugindo da violência e ser recebido também de modo violento? não dá pra ter noção.
Muros significa isso _ medo violência desamor.
A foto é boa.

11
Gravatar Ana Lúcia
em 2015-09-16 22:56:52

No campo nos Países Baixos não há cercas ou muros e nem imaginas no que me enfiei por causa disso. :)

12
Gravatar Jéfferson Cezimbra
em 2015-09-26 14:25:47

Ainda bem que as "divisões" do Remus , pelo que me parece, servem apenas para organizar uma fila para que as coisas ocorram bem, muito diferente de outras divisões que encontramos mundo à fora e o pior é quem nem todas são visíveis como as citadas pelo amigo. Infelizmente.
Abraço

13
Gravatar Remus
em 2015-10-13 10:01:53

Obrigado pelos vossos comentários. Eles são sempre muito importantes. Ainda para mais nesta fotografia, onde todos realmente contribuíram com os vossos pontos de vista, sobre um assunto, infelizmente, cada vez mais actual.

Willem: Thank you.
Kok: Acho que os muros nos cemitérios só existem para que ninguém vá "acordar" os mortos. :-P