Pontos deVistas

Há duas coisas infinitas: o Universo e a tolice dos homens.

Misterioso e camuflado Anterior Seguinte

Misterioso e camuflado

       Anterior Seguinte       

#Urbanism

Na semana passada o Mário Teixeira Gomes publicou uma série de fotografias onde mostrava o Rio Douro, em suas palavras, assim «misterioso, camuflado, a esgueirar-se pelas bermas das margens».
Hoje também entro nessa festa, porque tinha esta fotografia em banho-maria à espera de ser publicada e pensei para comigo: Nem é tarde nem é cedo. Vai ser hoje que ela vai ver a luz do dia (e por acaso hoje até calhou bem, porque está sol).
Não digo que esta fotografia esteja melhor que as fotografias do Mário, antes pelo contrário, as dele estão claramente mais bonitas, possuem uma luz mais aconchegadora. Mas esta minha fotografia poderia ser uma das deles e estar no meio das fotografias da sua série. Até o sitio onde eu tirei esta fotografia, coincide mais ou menos com o sitio onde ele tirou algumas das suas fotografias. A única diferença é que as fotografias dele foram tiradas neste mês, enquanto que a minha, apesar de também ter sido tirada em Novembro, mas no ano de 2010. Ou seja, é uma fotografia que estava em banho-maria há seis anos. Claramente, já estava quase a passar o prazo de validade. :-D

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2870
Publicação: 2016-11-29
Grupo: Urbanismos
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 9
Distância focal: 18 mm
Velocidade do obturador: 1/320 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Sexo e as maçãs Pinhal louvado Desenhei um sol No tecto Rebanho Quando o vento mal bulia Texto velho, texto novo Ouve e voa

  Escolha da semana

Digit@l Pixel: Os caracóis da D. Cenoura
Digit@l Pixel: Os caracóis da D. Cenoura

  Comentários

Existem 15 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Carlos
em 2016-11-29 15:28:52

Jamais passaria o prazo de validade!
Uma obra bem conseguida é eterna e a tua está uma verdadeira obra d'arte! Adorei.
Adoro fotografia.
Abraço

02
Gravatar Manu
em 2016-11-29 16:18:44

Apesar de ser tirada em 2010, considero que não passou o prazo de validade.
Em boa hora a colocou, adoro o género e esta neblina deu-lhe um ar de mistério que me fascinou

03
Gravatar Elisa Fardilha
em 2016-11-29 18:21:15

Adoro fotos envoltas em nevoeiro. São misteriosas e mágicas!
Não têm prazo de validade.

Beijinhos.

04
Gravatar João Menéres
em 2016-11-29 20:27:05

Plena de beleza, REMUS!

05
Gravatar Mário
em 2016-11-30 02:03:34

Admiração

É este o título que proponho para este meu comentário à fotografia e texto de Remus.
Podemos admirar o trabalho de alguém, ficar admirados com o comentário que fazem de nós e ter admiração por alguém que com a sua arte nos deixa entrar em mundos que antes nos eram desconhecidos.
Esse é o caso de Remus. E admiro-o exactamente por isso.
Cada fotografia que publica é uma lição de técnica fotográfica e uma demonstração da sua arte. Retirando uma ou outra fotografia que ele próprio reconhece que não está muito boa, mas publica na mesma, talvez por brincadeira, ou para provocar comentários.
Textos que nos elucidam, outros poéticos, acompanhados de fotografias escolhidas com cuidado, tratadas com requintes (quase) luxuosos, formam um conjunto harmonioso. Não são estas as melhores palavras para descrever os seus trabalhos nem os meus olhos sabem ver. mas foram as que estavam mais por perto e mais sentidas.
Com temas diversos, fotografias adequadas ao tema (Flinpo), e outras que acompanham um texto, são sempre tidas como favoritas e potencialmente vencedoras dos desafios. Por isso mesmo Remus aparece no topo da lista dos que mais venceram.
Falta-me dizer (escrever) que não conheço Remus, de forma nenhuma, só os seus trabalhos fotográficos serviram de ligação entre nós. Comentamos as fotografias um do outro.
Sou um péssimo comentador, já o disse várias vezes, irregular, com pouco entusiasmo e muitas das vezes com receio de não ser apropriado.
No caso de Remus, dos seus comentários, criticas e elogios, a sua naturalidade e humor desconcertam e servem de apoio e incentivo a continuar.
Ao passar aqui para ver os seus últimos trabalhos deparei com esta referência às minhas fotografias do Rio Douro em 23 de Novembro.
Estou em casa pelo que não tive dificuldade em encontrar lenços, lençóis e até mantas para conter os rios de baba. Neste momento está em permanência um secador de cabelo a secar o teclado e, deixando de lado a brincadeira, sigo pelo caminho mais curto (depois de um longo comentário) para agradecer muito, mesmo muito, ao Remus a menção que faz às minhas fotografias divulgando-as desta forma simples.
Claro que ele exagerou, as minhas fotos são fruto da oportunidade que tive em estar ali naquele momento com aquela luz e não comparáveis às suas fotografias, estando esta, em particular, entre as muitas magníficas que saem das suas máquinas e do seu olhar especial.
Um grande abraço
Um muito obrigado

Mário

06
Gravatar Steven
em 2016-11-30 04:10:48

A beautiful yet mysterious composition with the dense fog that envelopes the building!!

07
Gravatar Willem
em 2016-11-30 10:09:41

In a beautiful way captured the foggy atmosphere.

08
Gravatar Questiuncas
em 2016-11-30 10:45:35

CERTEZA: é uma fotografia muitíssimo bela, com pormenores de lente (pássaros) suja muito interessantes. Enfim, um deleite para o olhar.
DÚVIDA: a água, num plano inclinado, desce.
E o nevoeiro? Afinal de contas, o nevoeiro é água num outro estado. Será que o nevoeiro desce?
Mas, mesmo num plano inclinado, temos de ter em conta a velocidade do vento...
Agradecia que não ligassem à parte da dúvida, que ficassem pela certeza e certamente que compartilham comigo a mesma certeza da beleza da fotografia.

09
Gravatar Ana Simões
em 2016-11-30 12:57:39

Adoro a fotografia. Sou pouco de comentar, por falta de tempo e por ignorância visual, mesmo... mas sem dúvida esta é uma imagem bela e misteriosa que não consegui deixar de escrever o meu parecer. O nevoeiro encanta-me... gosto dessa margem surgindo da bruma e das aves atravessando a aparente impenetrável neblina. Uma imagem, no meu ponto de vista, que transmites duas facetas tão distintas, a liberdade das aves voando, mostrando que nada é impeditivo de ser-se livre... e o casario, prisioneiro de um denso nevoeiro... Muito bela imagem.

10
Gravatar Alex
em 2016-11-30 15:42:45

e torto, ou é só para eu puder dizer mal? :) adoro o efeito fog... :) que por acaso é natural.. :)

11
Gravatar Kaipiroska
em 2016-12-02 15:34:06

Uma foto assim tão bonita (com nevoeiro - adoro fotos com este elemento - confere um certo misticismo e mistério à imagem) nunca passaria da validade.

12
Gravatar Roadrunner
em 2016-12-04 11:31:07

Eh lá, será que é agora que vai aparecer o Sebastião?

13
Gravatar Ana Lúcia
em 2016-12-09 12:31:32

WOW!!! Mas que beleza!!!

14
Gravatar Remus
em 2017-01-05 22:15:47

Estou muito grato pelos vossos comentários.

Mário: A escrever assim tanto, até merece um agradecimento muito especial e particular: Muito obrigado! ;-)
Steven and Willem: Thank you
Questiuncas: Diacho do homem! Não é que o "Esbelto" tem mesmo razão!? A fotografia está mesmo inclinada. Confesso que só tomei consciência disso quando li o comentário e por momentos, até quis bater-me a mim próprio. :-P
Alex: Está mesmo torta... Eu assumo! :-)
Roadrunner: Ele já apareceu e já foi à vidinha dele. Parece que neste dia, ele ainda tinha que fazer uma outra aparição em Esposende. :-P

15
Gravatar Olivier
em 2017-01-16 12:51:14

Wooooa! MAGNIFFFIQUE!