Pontos deVistas

Bem feito é melhor que bem dito.

Espaço da janela Anterior Seguinte

Espaço da janela

       Anterior Seguinte       

#Graphic

Trago-te ao espaço da janela.
De novo surgiram deste lado da rua.
Em voz baixa disse «uma alucinação».
A única resposta foi entrar em casa
subir ao quarto mudar de roupa
ser jovem com quem soube bem ser jovem
sábio com quem quiseste ser sábio
velho com os velhos.
Trago-te para perto da janela
o rio vê-se daqui.
A cor da terra circula.

«Talvez seja a morte» «não»
«se for a morte o coração baterá mais ou menos forte».
O corpo
não tem grande lugar.

Poema «Trago-te ao Espaço da Janela» de João Miguel Fernandes Jorge

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 1576
Publicação: 2012-03-29
Grupo: Grafismos
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 18
Distância focal: 35 mm
Velocidade do obturador: 1/60 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Tocha Bebida refrescante Mais substancial Torre de Beja Linhas de costura Torço olfactivo Rede ferroviária Um instinto de luz

  Escolha da semana

To whom it may concern: Grote groene sabelsprinkhaan
To whom it may concern: Grote groene sabelsprinkhaan

  Comentários

Existem 22 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Fábio Martins
em 2012-03-29 21:01:02

Remus, não me digas que esse janelão é da tua casa :)

02
Gravatar Dida
em 2012-03-29 21:37:54

Procuro defeito...

Procuro e não encontro
A janela está simétrica
A luz está no ponto
Desisto Remus e pronto
Há espaço que chegue à janela
E eu daqui ...
Só consigo olhar para ela
E não através dela
;) :-)

03
Gravatar Ana Lúcia
em 2012-03-29 22:00:35

O poema é intrigante... como sempre uma fotografia de qualidade.
Gostei do poema da dida. ;)

04
Gravatar Questiuncas
em 2012-03-29 23:08:28

Algo me diz que esta janela é da Casa da Música.
Acertei?

05
Gravatar Rute
em 2012-03-30 00:10:00

Está perfeita, se a Dida já procurou em tantos sítios e nada encontrou para criticar...também eu não encontro! é limpissima, se é que se pode dizer isto de uma fotografia;)
Não sei comentar o poema, é desconcertante! Vou ter que o reler várias vezes para ver se lhe descortino a intenção e isso é uma coisa que eu tb gosto muito de fazer.
1 beijo:)

06
Gravatar Fabrizio
em 2012-03-30 06:59:28

awesome linearity with a brilliant result in the shadows

07
Gravatar Clarice
em 2012-03-30 08:22:50

Tudo...muito bonito!

08
Gravatar Photoattraction
em 2012-03-30 09:23:03

Muito boa Remus!
Mais uma vez a Casa da Musica a dar optimas fotografias e tu, lá para as registar.

09
Gravatar Alex
em 2012-03-30 16:48:04

um grafismo bem concretizado... cheio de linhas, angulos, cor, texturas... mto fine!!! ;)

10
Gravatar Tiago Guerreiro
em 2012-03-30 16:53:18

Bonito registo! :)

11
Gravatar Mfc
em 2012-03-30 17:26:29

Palpita-me que é na Casa da Música...

12
Gravatar Willem
em 2012-03-30 19:09:30

A nice play of lines photographed here

13
Gravatar Sérgio Pontes
em 2012-03-30 21:25:50

Boa perspectiva, onde é? Casa da música no Porto?

14
Gravatar Tiago Braga
em 2012-03-30 22:47:55

Gosto da profundidade e detalhe desta fotografia, especiamente devido ás entradas de luz, bastante interessante1

Bem, respondendo ao teu comentário, a Natureza farta-nos de ensiar coisas, nós é que por vezes somos cegos e custamos a aceitar. Por exemplo, podemos ver através dos animais que eles amam sem esperar receber e que estão sempre lá para nós, e em muitas fotos e videos podemos ver enormes provas de amor por parte deles, para connosco e entre eles!

Forte Abraço =)

15
Gravatar The Dear Zé
em 2012-03-30 22:55:48

uma luz obsessiva numa janela rasgada mas que não se abre, antes contém ...
é quase angustiante. resta a esperança no que ao fundo não se vê...

16
Gravatar Hugo De Macedo
em 2012-04-03 11:48:42

Não conhecia o poema, confesso. Mas gostei bastante.
A foto, uma vez mais, de um grafismo irrepreensível.

17
Gravatar Remus
em 2012-04-04 14:26:16

Muito obrigado pelos vossos comentários.

Fábio Martins: Bem que eu não me importava nada... :-)
dida: Estou a perceber que temos uma poetiza desse lado. ;-)
Questiuncas e Sérgio Pontes: Certíssimo.
Rute: Depois de reler o poema, chegou a alguma conclusão? :-)
fabrizio and Willem: Thanks.
mfc: E palpita muito bem.

18
Gravatar Nuno Monteiro
em 2012-04-07 16:05:41

A casa da música nunca desilude :).

19
Gravatar Dalmeida
em 2012-04-07 23:02:28

O poema é, de facto, intrigante - assim como esta janela. Não sei bem qual terá sido a intenção do Remus ou talvez também ele se amalgame no mistério deste post. Interessante.

20
Gravatar Iris
em 2012-04-09 19:31:18

lindíssima, Remus, uma imagem assim nem o Rem Koolhaas conseguiu imaginar. o poema é fantasticamente bem escolhido (desconcertante, como alguém já disse), há momentos que nos fazem esquecer da necessidade do lugar do corpo, de tão espantosamente belos

21
Gravatar L Reis
em 2012-04-22 19:24:11

Basta haver uma insinuação de um qualquer grafismo e o Sr. Remus por perto e o sucesso está garantido...quando a isto se juntam jogos de luz e sombra, está como diria a minha mãe "o caldo entornado"...
Mais uma vez: Bravo!

22
Gravatar Janita
em 2017-11-28 22:40:05

Que poderei eu dizer deste espaço de janela, uma fotografia tão estranha, como estranha é a minha forma de olhar para ela?...
Talvez me lembre outra janela, onde, ao debruçar-me nela, avistasse a curva sinuosa de um rio...

O Remusinho, tem o dom de ver coisas que mais ninguém vê.
Acho isso tão bonito... :)