Pontos deVistas

O bom humor tem algo de generoso: dá mais do que recebe.

Sei que me ouves na tempestade Anterior Seguinte

Sei que me ouves na tempestade

       Anterior Seguinte       

#Landscape

Sei que me ouves na tempestade
e nas gotas que ficam nas folhas,
a brilhar. Sei nas ondas ouvir
teus mergulhos de sereia
e nos gritos dos golfinhos
entender teus recados. Percebo
no trinar dos pássaros outro
som - a tua voz. Assim, quando
em tempo de solidão e desamor,
em momentos de vazio e medo
mergulho em trevas de terror,
quase me apetece desistir, como tu
desististe. Mas procuro-te na vida
e na vida luto contra a morte.

Poema «Fragmentos de uma Elegia» de Eduardo Guerra Carneiro.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 3217
Publicação: 2018-03-01
Grupo: Paisagens
Câmara: COOLPIX L29
Abertura: f 8
Distância focal: 4.6 mm
Velocidade do obturador: 1/500 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Pedra, não filosofal Rainha do Jardim de Outono Bambi A arquitectura é a história do mundo No tufo Borboletas na barriga Boa sorte Ortóptero

  Escolha da semana

To whom it may concern: The Netherlands, Egmond aan den Hoef
To whom it may concern: The Netherlands, Egmond aan den Hoef

  Comentários

Existem 14 pontos de vista. Quem será o próximo?
SWLJCAMARELCOR
01
S
Steven
em 2018-03-01 19:19:10

Beautiful poem to accompany this shot! I love the sliver of blue sky in the middle. Seems to evoke hope.

02
W
Willem
em 2018-03-01 19:49:33

Beautiful composition together with the threatening skies.

03
L
Lis
em 2018-03-01 22:29:06

Também ouço trovões e relâmpagos, Remus rs
Como a foto sugere.
Sim, entendi! segues as metáforas do poema e assim em todos os elementos da natureza há vozes e isso torna-se verdadeiro.
Os céus são bonitos quando inicia um processo de chuva _nuvens carregadas e escuras, _adoro olhar todo dia, como o céu acorda pra mim.
Bela foto!

04
J
JoÃo MenÉres
em 2018-03-02 13:23:01

Soberba imagem, Remus!
Não só pelo céu, mas pela conjugação com 1º plano em forma de telhado.
Uma alegoria perante a chuva que se aproxima e nos aconselha a ir abrigar-nos sob umas telhas de cerâmica.
Lindo o poema. Gostei muito.

05
C
Camerando
em 2018-03-02 18:31:45

Escuto tua voz na tempestade
Mas uma densa neblina cobre meus olhos
Posso ouvir as gotas a cair sem enxergar brilho algum
Sinto que os golfinhos me compreendem mais que meu eu próprio,
Dos pássaros não posso dizer o mesmo...
A solidão, o desamor, o vazio e o medo já não fazem parte dos meus sentimentos. O que são sentimentos?
Creio não fazer mais parte do meu próprio ser
Desistir não foi uma opção, mas uma condição
Bem entendo como pode parecer incompreensível
Ainda assim, um último sopro reside em mim...
Tua lembrança daquilo que um dia efemeramente desapareceu.

06
A
Ana Lúcia
em 2018-03-03 09:52:43

Um céu bem dramático... imagino o temporal. :)

07
M
Manu
em 2018-03-03 10:00:04

Fascinou-me este céu! Conseguiu a ideia de que a chuva não tarda a cair!

08
A
Alex
em 2018-03-04 01:26:14

palavras e imagem em sintonia...

09
R
Roadrunner
em 2018-03-04 11:36:57

Gostei do céu com aquela "aberta" a contrastar.

Saudações!

10
E
Elisa Fardilha
em 2018-03-06 19:35:07

Uma foto de luxo... encantou-me!

O poema que a legenda é fabuloso!

Beijinhos.

11
L
L Reis
em 2018-03-06 21:09:01

Ah pois. Este céu iracundo e ameaçador estava mesmo a merecer ser protagonista da imagem. Gosto do imenso espaço que lhe foi dado para "gritar" a sua fúria.

12
C
Camerando
em 2018-03-07 18:20:48

Esqueci de constar que de facto gostei da fotografia, mas ao contrário dos demais, não vejo nuvens de tempestade. Está mais para umas nuvens escuras e sub-expostas.

13
O
Omid
em 2018-03-14 22:21:36

Amazing sky!

14
R
Remus
em 2018-03-26 20:57:46

Muitos obrigado pelos vossos comentários. Eles são sempre muito importantes.

Steven, Willem and Omid: Thank you.