Pontos deVistas

A fotografia não revela o que é visto, mas aquele que vê.

Coisas de parede Anterior Seguinte

Coisas de parede

       Anterior Seguinte       

#Black&White

Existem muitas coisas de parede. Estas são somente dois exemplos, letras/palavras e caixas. São duas coisas de estilos diferentes, mas em ambas, usufruir delas implica que nos saia dinheiro da carteira. Uma é cultura, a outra é uma questão de sobrevivência.

Porque é que neste país à beira mar plantado, umas dessas coisas é altamente subsidiada pelo estado, mesmo quando não existe público para a ver, enquanto a outra coisa, em certas zonas do país (cerca de 8% da população), ainda nem existe? Será que o acesso à cultura é mais importante que a sobrevivência? Em termos políticos e sociais, não existirá uma ordenação errada das prioridades destes serviços?

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 3297
Publicação: 2018-06-15
Grupo: Preto e Branco
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 7.1
Distância focal: 75 mm
Velocidade do obturador: 1/400 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Existiu um tempo Iconografia Nau dos Corvos O jardim Ilha dos Amores Existe sempre dois lados São comestíveis Alfabeto latino

  Escolha da semana

Gootchaï 's Photoblog: La coque!
Gootchaï 's Photoblog: La coque!

  Comentários

Existem 10 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Manu
em 2018-06-15 14:49:17

Hoje, mais que nunca verifca-se que no nosso país as prioridades estão invertidas e os exemplos citados e imagens que mostras, são a prova disso.

02
Gravatar Willem
em 2018-06-15 16:17:55

Interesting photo in fine monochrome.

03
Gravatar L Reis
em 2018-06-15 17:50:07

Hum... não.
Não colocaria em termos de opção cultura vs. sobrevivência. Não é preciso deixar de investir dinheiro na cultura para dar condições de vida dignas às pessoas. Era capaz de nomear uns quantos (bastantes) sorvedouros de dinheiros públicos, esses sim, verdadeiras aberrações num país com os nossos problemas sociais e económicos. Se bem que por um lado é importantíssimo garantir condições dignas às pessoas, por outro lada é preciso mudar as mentalidades e isso só a cultura consegue.

04
Gravatar Steven
em 2018-06-15 19:05:59

An interesting point that you bring up in your narrative!!

05
Gravatar JoÃo MenÉres
em 2018-06-16 23:05:47

Há então uma Caixa!...
Nem lhe digo, nem lhe conto...

06
Gravatar Elisa Fardilha
em 2018-06-17 08:51:16

O" saco azul" também lá estava???

Uma foto típica neste nosso Portugal...

Beijinhos.

07
Gravatar Roadrunner
em 2018-06-17 12:46:12

Tem que existir um equilíbrio. País sem cultura é sinónimo de subdesenvolvimento, cultura sem público igualmente.

08
Gravatar Ana Lúcia
em 2018-06-17 18:06:32

Pensava que as artes, museus teatro... não estavam a ser financiados devidamente. A imagem da esquerda faz-me lembrar as tampas que encontramos nas estradas, que imagino sempre que devem descer até aos canais onde Vincent, o monstro sofre pela Catherine.

09
Gravatar Alex
em 2018-06-20 23:10:30

lol lol lol... que pertinência... :)

10
Gravatar Remus
em 2018-07-05 21:20:22

Muito obrigado pelas vossas palavras e visitas.

Willem and Steven: Thanks.
L Reis e Roadrunner: Na minha opinião, a cultura tem que ser auto-sustentável. Tirando os restauros e as obras de conservação de edifícios e de peças de arte, tudo o resto na cultura deveria ser auto-sustentável. Para quê estar a dar dinheiro a uma companhia qualquer de teatro, para eles fazerem umas peças de teatro, que ninguém vê? Para quê estar-se a financiar um filme, que depois possuem como espectadores só duas dúzias de pessoas? A cultura só é realmente cultura se possuir público.