Pontos deVistas

Nem relógio trabalha de graça.

Surdina Anterior Seguinte

Surdina

       Anterior Seguinte       

#General

No ar sossegado um sino canta,
Um sino canta no ar sombrio...
Pálida, Vênus se levanta...
Que frio!

Um sino canta. O campanário
Longe, entre névoas, aparece...
Sino, que cantas solitário,
Que quer dizer a tua prece?

Que frio! embuçam-se as colinas;
Chora, correndo, a água do rio;
E o céu se cobre de neblinas.
Que frio!

Ninguém... A estrada, ampla e silente,
Sem caminhantes, adormece...
Sino, que cantas docemente,
Que quer dizer a tua prece?

Que medo pânico me aperta
O coração triste e vazio!
Que esperas mais, alma deserta?
Que frio!

Já tanto amei! já sofri tanto!
Olhos, por que inda estais molhados?
Por que é que choro, a ouvir-te o canto,
Sino que dobras a finados?

Trevas, caí! que o dia é morto!
Morre também, sonho erradio!
A morte é o último conforto...
Que frio!

Pobres amores, sem destino,
Soltos ao vento, e dizimados!
Inda vos choro... E, como um sino,
Meu coração dobra a finados.

E com que mágoa o sino canta,
No ar sossegado, no ar sombrio!
- Pálida, Vênus se levanta.
Que frio!

Poema «Surdina» de Olavo Bilac.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 3412
Publicação: 2018-11-13
Grupo: Geral
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 8
Distância focal: 18 mm
Velocidade do obturador: 1/200 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Dupla experiência Haste ao alto Irmão, irmãos Mundo perdido Fada É uma muralha de suficiência Meio translúcido Vidas verticais

  Escolha da semana

In' Pression a LUZ: {hino}
In' Pression a LUZ: {hino}

  Comentários

Existem 12 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Elisa Fardilha
em 2018-11-13 16:05:26

Adoro o toque do sino das igrejas.
Gosto de ouvir o bater das horas. Quem sabe a origem deste meu gostar não esteja por ter nascido ao bater, das 3 da manhã, no relógio da torre da igreja em Cortegaça!

Uma foto que adorei. O P&B acentua-lhe a imponência!

Beijinhos.

02
Gravatar Steven
em 2018-11-13 19:07:58

A nicely framed view of the bell in the tower!!

03
Gravatar Alex
em 2018-11-13 22:18:45

não sei se gosto muito do enquadramento... mas tb não dá para mudar o sino de sitio, ou arredar a aldeia.. :D

04
Gravatar Maria Antonieta
em 2018-11-13 23:16:17

Há tristeza no ar se os sinos dobram
alegria se repicam para a Festa
alvoroço se rebatem de alerta
e há conversas no adro quando avisam
que podem as beatas, no final da Missa,
irem para casa dormir a sesta...

Eu gostei do sossego e da placidez, que esta aldeia e a pequena Igreja me sugere. Com ou sem repicar de sinos... :)

05
Gravatar Omar
em 2018-11-14 10:09:46

I imagine to walk through the village and than listening to the bell far away...
nice view as long it is not starting (-;

06
Gravatar Manu
em 2018-11-14 11:12:42

Gosto deste ar sossegado em que o sino espreita a aldeia e parece que a todo o momento vai tocar.
O P&B e a perspectiva ficaram muito bem!

07
Gravatar Dida
em 2018-11-14 17:27:55

A mim parece-me um sentinela no seu posto este sino.
Dramática a foto depois de ler o poema.
Não gosto de ouvir o sino. Sou sensível e irrita-me, ou...
Entristece-me (que é pior).

08
Gravatar Willem
em 2018-11-14 18:02:44

Beautiful composition and fine black and white editing, exposure is superb.

09
Gravatar Ana Lúcia
em 2018-11-14 18:24:11

Adorei como compuseste este sino :) Ficou com uma bonita melodia. ;)

10
Gravatar Oldshutterhand
em 2018-11-16 23:14:46

Stylish black and white picture

11
Gravatar Omid
em 2018-11-24 20:42:35

Amazing!!!!

12
Gravatar Remus
em 2018-12-07 20:55:48

Muito obrigado pelos vossos comentários nada surdinos.

Elisa Fardilha: Quem sabe... Quem sabe... Mas acho que a Elisa foi muito madrugadora a nascer. :-)
Steven, Omar, Willem, Oldshutterhand and Omid: Thanks.