Pontos deVistas

O melhor modo de pedir é agradecer.

Assim um jardim nasceu Anterior Seguinte

Assim um jardim nasceu

       Anterior Seguinte       

#General

Um dia D. José acordou, ainda estava em ceroulas de frente para o penico, quando teve uma ideia: Criar um jardim botânico em Lisboa, para servir de educação dos príncipes de Portugal e das Berlengas.
Tocou a sineta e veio aos saltinhos, em bicos de pés, o seu querido Marquês de Pombal. Explicou-lhe a sua ideia e o Marquês meteu as mãos à obra e algum dinheiro ao bolso.
Como cavar terra não era coisa que lhe assistia, mandou vir um italiano, lá do sítio onde existem muitos italianos, chamado Domingos Vandelli. Era um botânico, lindo, charmoso e bem cheiroso, que deixava todos os corações a palpitar. Os que deixassem de palpitar, iam para o cemitério.

Ele desenhou, projectou, ensinou e se calhar até plantou algumas das plantas no jardim que acabou por nascer nos terrenos do palácio da Ajuda. Reuniu mais de cinco mil espécies do mundo vegetal, encontradas no continente europeu e nos territórios ultramarinos. O empenho foi tanto, que até foram enviadas expedições a Angola, Brasil e Cabo Verde para efetuar a recolha de sementes e de plantas para o jardim.

Como a guarda L.Reis não estava a vigiar, eu entrei e visitei. O Questiuncas não quis fazer-me companhia. Disse que eu fosse ver as florzinhas e plantinhas, que ele preferia ter um encontro com o Steve McCurry.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 4599
Publicação: 2022-11-24
Grupo: Geral
Câmara: COOLPIX L29
Abertura: f 6
Distância focal: 20.1 mm
Velocidade do obturador: 1/100 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

E o vento tudo não levou O feio mitigado Na cusquice Segura-te ao corrimão Amo-a duma maneira casta Estranheza Entra um, sai três Se o telefone toca

  Escolha da semana

Existe um Olhar: Borrifos num dia de chuva
Existe um Olhar: Borrifos num dia de chuva

  Comentários

Existem 7 pontos de vista. Quem será o próximo?
DLMWRAL
01
D
Dida
em 2022-11-24 11:29:56

Acreditei que a ideia seria a construção de uma retrete, casa de banho ou WC. Afinal era um "penico" a céu aberto, fresco e colorido :-) :-)
Cada um gosta do que gosta em ceroulas.
Andar em cima dos muros a tirar fotos ao jardim é uma opção que assiste ao Remus.
Vivam as ideias luminosas em cada hora do dia.

02
L
Lis
em 2022-11-24 13:35:30

Bem faz a LReis vigiar quem vai a Lisboa e não fotografa os jardins como deve ser _ só vejo aqui um mural de mármore nada parecido com um JBotânico., cadê as mais de cinco mil espécies vindas de outros países (do Brasil, inclusive ), não vejo nenhuma espécie ,nenhuma florzinha, apesar do verde brilhando ao sol... rsrs
Entrei nessa brincadeira Remus só pra te chatear um pouquinho mais...
Abraços

03
M
Manu
em 2022-11-24 13:58:04

Pelo que li, andava tudo em cuecas, foi preciso ver um italiano para fazer um parque que vale a pena visitar.
Eu a pensar que nas férias tinha rumado até ao Alentejo, afinal ficou-se por Lisboa.
Pena a L.Reis não andar por ali, deduzo que teria sido bem divertido. :P

04
W
Willem
em 2022-11-25 20:24:06

Wonderful depth in this photo.

05
R
Roadrunner
em 2022-11-26 15:11:22

Isto de meter dinheiro ao bolso já vem de longe.

06
A
Ana Lúcia
em 2022-11-27 14:28:33

Acho que já o visitei... tenho uma sensação de déjà vu... memórias felizes? Não sei?
Gosto de jardins botânicos, mas o meu preferido é o de Coimbra.

07
L
L Reis
em 2022-12-01 19:07:19

Mais um momento arrepiante: ele andou no jardim Botânico! Esta visão do Remus, em modo pavão, a passear-se ufano e despreocupado, aqui tão perto, consegue perturbar-me mais do que pensar no D.José a ter ideias em frente ao seu penico de loiça. Mas afinal isto é Lisboa ou é o cabaré da coxa, para entrar toda a gente assim sem mais nem aquela?? Há que ter uma conversinha com o presidente da câmara!
A Manu diz que foi pena eu não andar por ali... pois foi! A cena que se seguiria iria, de certeza, dar direito a notícia de primeira página no Correio da Manhã.
(Gosto deste contraste forte entre a linha escura do muro e toda a imensa claridade envolvente)