Pontos deVistas

Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.

Suspiro dos cativos Anterior Seguinte

Suspiro dos cativos

       Anterior Seguinte       

#Landscape

Encostados ás grades da prisão,
Olham o céo os palidos captivos.
Já com raios obliquos, fugitivos,
Despede o sol um ultimo clarão.

Entre sombras, no longe, vagamente,
Morrem as vozes na extensão saudosa.
Cae do espaço, pesada, silenciosa,
A tristeza das cousas, lentamente.

E os captivos suspiram. Bandos de aves
Passam velozes, passam apressados,
Como absortos em intimos cuidados,
Como absortos em pensamentos graves.

Excerto do poema «Os Captivos» de Antero de Quental.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 1545
Publicação: 2012-02-17
Grupo: Paisagens
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 2.8
Distância focal: 6.3 mm
Velocidade do obturador: 1/500 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Garfologia Condomínio fechado A cunha Uma de três Carícias do mar Tocha Cada cabeça, cada sentença Não ter filosofia nenhuma

  Escolha da semana

Omid: crab plover
Omid: crab plover

  Comentários

Existem 14 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Adelino Chapa
em 2012-02-17 20:55:12

Bela escolha para uma excelente imagem.

02
Gravatar Andrem
em 2012-02-18 00:26:23

Confesso que me obrigas a pensar com esta foto e o poema que lhe juntas... andas a dar uma de artista, é?
Abraços e bom carnaval

03
Gravatar Ana Lúcia
em 2012-02-18 00:36:42

;) Primeira coisa que me lembrei quando li o título da fotografia foi na Ponte dos Suspiros...
Gosto da imagem, da ideia...

04
Gravatar Fábio Martins
em 2012-02-18 01:08:32

Mal vi a imagem, pensei numa edição. As cores da cor que estão e o resto em cinza, dando assim protagonismo apenas à folhagem. Hmm, que te parece?

É uma imagem interessante com aquilo que citas

05
Gravatar Rute
em 2012-02-18 01:10:49

Concordo com o André, "andas a dar em artista"...estou a brincar, porque já há muito tempo que sei que és um homem das artes.
Aquela folha solitária, lá em cima provocou-me logo um sentimento de 'desassossego-que-não-sei-bem-explicar'...Está linda, Sr.Remus e o poema foi muitíssimo bem escolhido. Tudo me tocou...gostei imenso.
1 beijo e 1 bom fim-de-semana:)

06
Gravatar Manu
em 2012-02-18 12:25:23

A tristeza das folhas aprisionadas!
Uma bela foto, algo nostálgica e bem diferente do que nos costumas mostrar, mas adorei!

07
Gravatar Willem
em 2012-02-18 13:59:20

Well seen and beautifully photographed.

08
Gravatar Dmponteira
em 2012-02-18 23:52:01

Excelente olhar, parabéns

09
Gravatar Mfc
em 2012-02-19 01:17:21

Barreira.... desconcertante!

10
Gravatar Nuno Monteiro
em 2012-02-19 01:42:28

Muitíssimo bem observado. O enquadramento está perfeito, sacaste aqui uma grande foto.

11
Gravatar Iris
em 2012-02-19 23:34:22

lindíssima. fragilidade arremessada contra a indiferença do horizonte.
são maravilhosas as cores e o contraste delas entre os lados de cá e de lá. é maravilhosa a luz e a atmosfera. e a escolha do poema, uma belíssima leitura

12
Gravatar Hugo De Macedo
em 2012-02-20 10:58:28

Perfeita simbiose entre o poema e a fotografia.

Genial, REmus.

Abraço!

13
Gravatar Alex
em 2012-02-20 18:51:11

as palavras em perfeita consonância com a imagem.. oi vice-versa... :)

o contraluz está com a luz no ponto... as cores das folhas em baixo, constroi a imagem...

14
Gravatar Remus
em 2012-02-26 12:04:38

Estou muito agradecido pelos vossos comentários.

AndreM: Eu sou um verdadeiro artista. Sou o Prince português. :-)
Fábio Martins: Parece-me bem, mas eu não sou fã da técnica cut-out. ;-)
Willem: Thanks.