Pontos deVistas

A boa educação é moeda de ouro. Em toda a parte tem valor.

Ferida aberta Anterior Seguinte

Ferida aberta

       Anterior Seguinte       

#filmphoto  #General

Dor, ferida aberta em mim!
O sangue não sei como fazer parar de sair.
Exposta a jugular do golpe assim,
Corvos do mal agouram ali.

Fria eminência da morte,
No meu coração já abita.
Compaixão de lá já arrancou.

Dos sentimentos outrora vigentes,
Só a melancolia da silhueta resta.
Animal ferido perigoso fica,

Cuidado...

Já avisa!

Poema «Ferida Aberta» de Rodrigo Figueiredo.

Fotografia tirada pela máquina analógica Praktica MTL 5 e com um rolo AGFA Optima II Prestige, expirado em Dezembro de 2003 (9 anos e 10 meses antes da fotografia ter sido tirada).
ISO: 100.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2961
Publicação: 2017-03-29
Grupo: Geral
Câmara: Praktica MTL 5
Abertura:
Distância focal:
Velocidade do obturador:
Flash:

  Mais fotografias

O crescer de uma magnólia Ode ao gato Lente cilíndrica Imensidão de estrelas Sejam puros Hoje, já te disse que te amo? Otard Curiosidade

  Escolha da semana

To whom it may concern: The Netherlands, Egmond aan den Hoef
To whom it may concern: The Netherlands, Egmond aan den Hoef

  Comentários

Existem 17 pontos de vista. Quem será o próximo?
QASJOALNRREMDLMRA
01
Q
Questiuncas
em 2017-03-29 14:01:22

O título desta fotografia adequa-se perfeitamente ao meu estado de espírito.
Prometo nunca mais chamar rabugento a ninguém.

02
A
Ailime
em 2017-03-29 18:19:50

Foto e poema de grande qualidade!
Os meus parabéns!
Bjs
Ailime

03
S
Steven
em 2017-03-29 19:12:37

I am always fascinated how a "wound" that creates rust can "bleed" so profusely. Great find and capture!!

04
J
João Menéres
em 2017-03-29 20:18:51

Eu só teria colocado a imagem da ferida...

05
O
Omid
em 2017-03-29 20:19:43

such beautiful frame, focus, DOF, colors & textures!
Amazing!

06
A
Ana Lúcia
em 2017-03-29 21:28:48

Gosto de coisas enferrujadas. :)

07
L
L Reis
em 2017-03-29 22:08:17

Fotograficamente falando, a ferrugem é uma coisa espetacular. Para já tem uma cor fantástica, depois (quando é no ferro por ex.) cria texturas incríveis e, finalmente, quando escorre e alastra em superfícies, tem o condão de magnetizar o nosso olhar. Esta "ferida aberta" foi mesmo muito bem aproveitada e contextualizada com o poema do Rodrigo Figueiredo. (Voltámos portanto aos rolos mumificados... gosto de os imaginar nas suas caixinhas, enrolados em fina gaze à espera o famoso roloptólogo Remus os descubra, na altura das limpezas de Primavera, da sua cave)

08
N
Nanegrub
em 2017-03-29 22:29:19

Une superbe palette de couleurs
Une photo que j'aime beaucoup

09
R
Rute Saraiva
em 2017-03-30 03:21:56

Não podias ter escolhido melhor título para esta fotografia.O poema cria tensão e põe o dedo na ferida! Gostei muito

1 beijo

10
R
Roadrunner
em 2017-03-30 11:48:02

E parece que já lá andaram a pôr mercúrio...

Saudações!

11
E
Elisa Fardilha
em 2017-03-30 13:38:05

Tenho algumas que nunca cicatrizaram!

Foto e poema belíssimos e em total sintonia.

Beijinhos.

12
M
Manu
em 2017-03-30 14:31:21

Não é normal gostar de feridas :P Desta gostei pelo contraste e tonalidades,
Já das outras que fazem sangrar o coração, são bem mais difíceis de cicatrizar e não se podem fotografar, sentem-se apenas.

13
D
Dida
em 2017-03-30 22:57:34

Uma ferida fora de validade, pelo rolo. Que dizer? Oportuno e o título bem escolhido. Esperemos que um dia cicatrize.

14
L
Lis
em 2017-03-30 23:46:19

Feridas expostas _ essas são as mais dolorosas.

15
M
Mariam
em 2017-04-01 00:03:37

Tão linda! E adorei o pormenor do rolo expirado :) bjs

16
R
Remus
em 2017-04-26 19:50:55

Estou grato pelos vossos comentários e visitas.

Steven and Omid: Thank you.
Nanegrub: Merci.
Roadrunner: Muito bem associado. :-P

17
A
Alex
em 2017-05-09 19:32:19

sem palavras... imagem e texto perfeitos... em sintonia