Pontos deVistas

Um amigo sensato é um bem precioso.

Falar, mas para quê? Anterior Seguinte

Falar, mas para quê?

       Anterior Seguinte       

#Graphic

Nem aqui nem ali: em parte alguma.
Não é este ou aquele o meu lugar.
Desço à praia, mergulho as mãos no mar,
mas do mar, nos meus dedos, fica a espuma.

Meu jardim, minha cerca, meu pomar.
Perpassa a Ideia e mói, como verruma.
Falar mas para quê? Só por falar?
Já nada quer dizer coisa nenhuma.

Os instintos à solta, como feras,
e eu a pensar em velhas primaveras,
no antigo sortilégio das palavras.

Agora é tudo igual, prazer e dor,
e a tua sementeira não dá flor,
ó triste solidão que as almas lavras.

Primeiro poema de «Três Poemas da Solidão» de Fernanda de Castro, in "E Eu, Saudosa, Saudosa".

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 3868
Publicação: 2020-05-26
Grupo: Grafismos
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 5.6
Distância focal: 82 mm
Velocidade do obturador: 1/250 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Outra cidade «Epinephelus Itajara» Suspensa Alimento & compostos Colorada, como uma grande flor Se abate como espuma Enquanto ainda está verde Tudo é nada sem outra coisa que não é

  Escolha da semana

A Left-Eyed View: Intersecting Buildings?
A Left-Eyed View: Intersecting Buildings?

  Comentários

Existem 10 pontos de vista. Quem será o próximo?
AWMSDLOAOR
01
A
Ana Lúcia
em 2020-05-26 15:39:12

Uma barreira de dunas? Muito bem aproveitada para criar um excelente grafismo com tons quentes.

02
W
Willem
em 2020-05-26 19:45:17

Beautiful focus work as always.

03
M
Manu
em 2020-05-26 19:45:44

Ao ver esta foto lembrei-me do passeio que fiz ao Senhor da Pedra em que havia uma passeio pedonal com este tipo de madeira.
Gostei muito deste grafismo.

04
S
Steven
em 2020-05-26 23:28:21

Mesmerizing composition of this sand fencing! We just took ours down on the beach in anticipation of the beach opening in the near future.

05
D
Dida
em 2020-05-28 01:20:31

Pensei que eram fósforos mas depois vi que não tinham cabeça :-)
Uma estrutura que resultou num belo grafismo fotográfico.

06
L
Lis
em 2020-05-28 21:13:16

O poema fala em 'prazer e dor' e sementeira que não dá flor. Se considerarmos a foto confirmamos que também dos mergulhos sobra mesmo areia e espumas.
O grafismo parece algo para dificultar o acesso ao mar. Será?
Nesse caso replico sua motivação 'falar para quê?'

07
O
Omar
em 2020-05-30 16:07:10

Wow, I like it!

08
A
Alex
em 2020-06-08 21:38:09

que lindo, o grafismo criado...

09
O
Omid
em 2020-06-13 23:26:38

such beautiful focus, DOF & lights!
Amazing graphics.

10
R
Remus
em 2020-06-30 17:23:50

Agradeço a todos as vossas palavras e visitas.

Ana Lúcia: Sim, é uma barreira para proteger as dunas. Mas como existe muita gente burra, e apesar dos avisos, muitos usam estes espaços como abrigo contra o vento. Colocam umas toalhas penduradas nas laterais, ficam deitados e abrigados, pelo que acabam por danificar a duna.
Willem, Steven, Omar and Omid: Thanks.
Manu: E lembrou-se muito bem. Fiz esta fotografia nessa zona. ;-)
Lis: É uma estrutura para proteger as dunas. Para não permitir que as pessoas caminhem por cima das dunas, por forma a obrigar a usar os caminhos previamente delimitados.