Pontos deVistas

Não leves a vida muito a sério. Nunca irás sair dela vivo.

Qualquer toque Anterior Seguinte

Qualquer toque

       Anterior Seguinte       

#Graphic

Eles eram mais antigos que o silêncio
A perscrutar-se intimamente os sonhos
Tal como duas súbitas estátuas
Em que apenas o olhar restasse humano.
Qualquer toque, por certo, desfaria
Os seus corpos sem tempo em pura cinza.
A Remontavam às origens - a realidade
Neles se fez, de substância, imagem.
Dela a face era fria, a que o desejo
Como um hictus, houvesse adormecido
Dele apenas restava o eterno grito
Da espécie - tudo mais tinha morrido.
Caíam lentamente na voragem
Como duas estrelas que gravitam
Juntas para, depois, num grande abraço
Rolarem pelo espaço e se perderem
Transformadas na magma incandescente
Que milénios mais tarde explode em amor
E da matéria reproduz o tempo
Nas galáxias da vida no infinito.

Eles eram mais antigos que o silêncio...

Poema «Namorados do Mirante» de Vinicius de Moraes.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 2423
Publicação: 2015-04-20
Grupo: Grafismos
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 3.2
Distância focal: 9.8 mm
Velocidade do obturador: 1/125 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

Mijona Dá-me música Monsanto Água e desenvolvimento sustentável Uma necessidade e um êxtase Maracujá Bailarinas Colar de coral

  Escolha da semana

Omid: O
Omid: O

  Comentários

Existem 14 pontos de vista. Quem será o próximo?
Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar Gravatar
01
Gravatar Roléro-t
em 2015-04-20 22:29:23

Good effect!

02
Gravatar Jarek
em 2015-04-21 06:54:26

Good composition and wonderful light!

03
Gravatar Willem
em 2015-04-21 11:55:17

Effect and light are superb here.

04
Gravatar Ana Freire
em 2015-04-21 13:00:54

Qualquer toque? Mas eu nem estou a ver a campainha...
Será a casa do Remus?... Será que tenho que me preparar psicologicamente, para ver o Remus vestido de índio, com trancinhas e penas no cabelo?...
Sendo assim... ainda haverá esperança de ver uma imagem do Remus a fazer a dança da chuva, no Feicibuque, um dia destes...
Excelentes tons, enquadramento, e aproveitamento da luz e sombras.

05
Gravatar Manu
em 2015-04-21 15:43:01

O Domingo de Ramos já passou :P, mas como o Remus de tudo faz uma foto, ei-la aqui bem verdinha, com a luz no sítio certo.
Como sempre de um motivo simples, surgem grandes fotos! :)

06
Gravatar Ana Lúcia
em 2015-04-21 18:26:35

Tal como a Manu, pensei no domingo de ramos... Boa composição.

07
Gravatar Elisa Fardilha
em 2015-04-21 19:05:32

O efeito do entrelaçado das folhas da palmeira resultaram nesta excelente foto.

Beijinhos.

08
Gravatar Pat
em 2015-04-21 20:42:24

As a natural comb!

09
Gravatar Paulo César Silva
em 2015-04-21 21:44:03

e quando afastarmos as plantas vamos ver o que? um avião - do sexo feminino :D ? um leão faminto? uma praia paradisíaca? um pastel de nata?
excelente luz!

10
Gravatar Lis
em 2015-04-22 04:54:41

Muito bonito o poema de Vinicius e a foto também.
Só não sei se os 'toques' se correspondem...

11
Gravatar Roadrunner
em 2015-04-23 14:03:27

Estamos virados para o verde...

12
Gravatar Alex
em 2015-05-02 23:50:26

bonito grafismo!

13
Gravatar Jéfferson Cezimbra
em 2015-05-05 04:27:56

Verde rsrsrsr
Abraço

14
Gravatar Remus
em 2015-05-07 15:41:19

Obrigado pelos vossos comentários.

Roléro-t and Pat: Merci.
Jarek and Willem: Thank you.
Ana Freire: Tem que ser a dança da chuva? Não pode ser uma outra dança, como por exemplo o kuduro? :-P
Paulo César Silva: Tantas hipóteses... mas a realidade é muito menos interessante. :-P