Pontos deVistas

Quem pensa pouco, erra muito.

Avizinhar-se do silêncio Anterior Seguinte

Avizinhar-se do silêncio

       Anterior Seguinte       

#filmphoto  #General

Creio que é absolutamente urgente revisitarmos com outro apreço os territórios dos nossos silêncios e fazermos deles lugares de troca, de diálogos, de encontros. O silêncio é um instrumento de construção, é uma lente, uma alavanca. As nossas sociedades investem tanto na construção de competências na ordem da palavra (e pensemos como a escolarização está ao serviço da capacitação dos indivíduos em ordem a um funcionamento eficaz com a palavra) e tão pouco nas competências que operam com o silêncio! Somos analfabetos do silêncio e esse é um dos motivos por que não encontramos paz. O silêncio é um traço de união mais frequente do que se imagina, e mais fecundo do que se julga. O silêncio tem tudo para se tornar um saber partilhado sobre o essencial. Mas para isso precisamos de uma iniciação ao silêncio, que é o mesmo que dizer uma iniciação à arte de escutar.
Numa cultura de avalanche como a nossa, a verdadeira escuta só pode configurar-se como uma re-signifícação do silêncio, um recuo crítico perante o frenesim das palavras e das mensagens que a todo o minuto pretendem aprisionar-nos. A arte da escuta é, por isso, um exercício necessário de resistência.

Texto «Avizinhar-se do Silêncio» de José Tolentino Mendonça, in "O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas".

Fotografia tirada pela máquina analógica Pentax P30 e com um rolo Fujifilm Superia - ISO 200, expirado em Novembro de 2013 (4 anos e 7 meses antes da fotografia ter sido tirada).
Distância focal: 50mm

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 3903
Publicação: 2020-07-05
Grupo: Geral
Câmara: Pentax P30
Abertura:
Distância focal:
Velocidade do obturador:
Flash:

  Mais fotografias

Em papel celofane vermelho Colorada, como uma grande flor Um alto monte Quatro em um Prateleiras Fibonacci Negócio da água Karaté

  Escolha da semana

Existe um Olhar: Pensativa
Existe um Olhar: Pensativa

  Comentários

Existem 8 pontos de vista. Quem será o próximo?
JAWOOLRR
01
J
Janita
em 2020-07-05 20:53:17

Não me considero uma analfabeta do silêncio.
A maior parte das conversas que tenho, actualmente, são feitas em silêncio. Quantas vezes, noite fora, me encontro comigo mesma e tento entender o porquê de tanta ausência em mim.

Quanto à quietude que se sente e quase se respira, na fotografia, quando a vi, só me veio à ideia de como seria bom que o trajecto que uso para as minhas caminhadas, fosse assim como esse caminho.

02
A
Ana Lúcia
em 2020-07-06 14:38:33

Esta fotografia convida ao passeio, a pé ou de bicicleta e se continuar sem subidas, parece-me que a bicicleta é uma boa escolha. Para meditar comigo, escolho a caminhada. :)

03
W
Willem
em 2020-07-06 17:23:02

A well chosen composition creates a nice depth in the photo.

04
O
Omid
em 2020-07-07 18:19:04

Lovely path.

05
O
Omar
em 2020-07-08 09:16:27

O silêncio é um instrumento de construção! É verdade! Um caminho agradável

06
L
Lis
em 2020-07-11 03:41:34

Algumas vezes o silêncio é barulhento. Desperta emoções, lembranças, saudades e a certeza de nunca ter volta. E, devasta a alma!
E, faz bem! a meditação, o ficar sozinha nos faz mais criativos.
Eu sou silenciosa, ouço mais do que falo, me oculto mais,do que me mostro. Talvez, precisasse de mais gente ao redor, pra contrabalançar. Enfim, um olhar bonito_tenho parecidos e gosto muito!
Grande texto do Tolentino. Sou muito fã dos escritores/poetas portugueses. Obrigada.

07
R
Roadrunner
em 2020-07-18 10:50:22

Ora não podia estar mais de acordo com o nosso amigo Tolentino, o silêncio é cada vez mais escasso, desejado e, por tal, precioso.

08
R
Remus
em 2020-08-14 16:35:19

Ainda bem que vocês não fizeram silêncio e deixaram os vossos comentários. Muito obrigado!

Willem, Omid and Omar: Thanks.