Pontos deVistas

Há pessoas que falam, falam, até encontrarem, finalmente, qualquer coisa para dizer.

O mercado Anterior Seguinte

O mercado

       Anterior Seguinte       

#Urbanism

O famoso Mercado do Bolhão no Porto, que há uns anos tinha o aspecto que aparece na fotografia, está actualmente a ser renovado. Mas... o final das obras têm sido constantemente adiadas.

A 28 de Abril de 2018, as portas do Bolhão foram encerradas para se dar início a um novo capítulo na história do mercado. Nessa altura diziam que o prazo de conclusão da obra era de dois anos. Mas já vamos em 2021 e as obras ainda continuam.
Actualmente, o prazo para as obras terminarem é até ao final deste ano.
Vamos lá ver se será verdade, ou se passa para o próximo ano.

  Partilhe

  Informação técnica

Fotografia N.º: 4152
Publicação: 2021-05-20
Grupo: Urbanismos
Câmara: NIKON D90
Abertura: f 6.3
Distância focal: 18 mm
Velocidade do obturador: 1/640 sec
Flash:

  Mais fotografias

Rodeado de aromas Que escolha tão severa Quando um dia voltasse a partir Caí Ainda não fui aos Açores Foi ali Hipericão Alucinamento colectivo

  Escolha da semana

EK Images: Lurking
EK Images: Lurking

  Comentários

Existem 13 pontos de vista. Quem será o próximo?
SWCAMMJLLQORA
01
S
Steven
em 2021-05-20 19:12:05

A beautiful symmetrical view with great tones! Here's hoping the work is completed on time. :-)

02
W
Willem
em 2021-05-20 19:44:48

Let's hope this market can open again, beautiful version in black and white.

03
C
Cidália Ferreira
em 2021-05-20 20:55:37

A Culpa é do Covid! :)
-
O silêncio incita o coração...
-
Beijos e uma excelente noite

04
A
Ana Lúcia
em 2021-05-20 21:26:52

Fizeram obras no mercado de Coimbra há muitos anos e eu tenho imensas saudades do antigo mercado. Deposi das obras o novo mercado ficou às moscas... Adorei a atmosfera que se vive aqui...

05
M
Manu
em 2021-05-20 23:55:19

Só tenho uma foto do exterior do mercado que tirei há uns anos, mas não ficou tão bonita como esta.
Gosto da simetria e a escolha do p&b foi acertada.

06
M
Michael Rawluk
em 2021-05-21 01:31:34

That shot works so well in black and white.

07
J
Janita
em 2021-05-21 19:02:36

Não gosto muito do aspecto soturno que a fotografia mostra.
Há mais de um ano que não vou à Baixa, mas as memórias que guardo das minha visitas quase semanais, a esse Mercado são alegres e coloridas.
Já vim aqui várias vezes e gostaria de dizer outra coisa mais simpática, mas... lamento, Remus... não posso dizer o que não sinto.
Podia era continuar calada, isso sim... :(

08
L
L Reis
em 2021-05-22 11:22:45

"What else is new?" No que diz respeito a obras, em Portugal, somos bastante constantes. Ainda está para vir aquela, onde os prazos são cumpridos e tudo corre de acordo com o planeado.
Aqui em Lisboa o Mercado da Ribeira foi transformado num "open space" de comes e bebes. Há quem goste, eu nem por isso. O enorme espaço interior transformou a zona numa enorme caixa de ressonância e o barulho é insuportável.
Gosto desta perspectiva do Bulhão, que nos dá a noção de conjunto do edifício, e a atmosfera pesada remete-nos para o vazio que por ali se vive. Espero que, em breve renasça a cor.

09
L
Lis
em 2021-05-22 19:17:41

Não lembra mercado, Remus muito sofisticado e nem por isso agradável aos primeiro olhar.
Talvez com o colorido, se transforme.

10
Q
Questiuncas
em 2021-05-26 11:41:12

Mais um importante documento histórico do Mercado do Bolhão, pois da próxima vez que qualquer um de nós lá entrar, já nada vai ser assim.
Estou curioso para ver o novo Bolhão, mas também apreensivo.

11
O
Omid
em 2021-05-28 20:38:05

Amazing architecture!

12
R
Remus
em 2021-06-21 18:33:01

Obrigado por terem vindo ver este antigo Mercado do Bolhão e por terem deixado os vossos comentários.

Steven, Willem, Michael Rawluk and Omid: Thank you.
Cidália Ferreira: O Covid é a desculpa para muita coisa. Mas já antes não existia Covid e os atrasos eram sistemáticos. ;-)
Ana Lúcia: Vamos ver como corre neste caso.
Janita: Por mim, solte sempre o que lhe vai na alma. ;-)

13
A
Ana Lúcia
em 2021-06-21 23:24:00

Às vezes sinto-me o velho do Restelo...