Pontos deVistas

Quem cedo madruga passa o dia com sono!

Todos estamos sozinhos Anterior Seguinte

Todos estamos sozinhos

       Anterior Seguinte       

#Landscape

A cultura contemporânea deixou de preparar-nos para a solidão. Na maior parte das vezes, essa é uma aprendizagem que temos de fazer em cima dos próprios acontecimentos ou na sua dolorosa ressaca, e de forma muito desacompanhada. É como se a solidão fosse uma eventualidade improvável na experiência humana e não, como é, um ponto de passagem obrigatório e comum.

Lembro-me de uma frase de Truman Capote que transcrevi há anos para um caderno:
«Todos estamos sozinhos, debaixo dos céus, com aquilo que amamos.»
Em momentos diferentes da vida, tenho regressado a ela, e sinto que ainda não me revelou a extensão integral da sua verdade.

Esquecemos que todos os dias, mesmo numa vida afetivamente integrada e febrilmente ativa, a solidão nos visita. Estamos sós quando estamos connosco próprios e em companhia. Estivemos sós em crianças, na transbordante juventude e nas décadas da vida adulta, e estaremos assim na nossa velhice. A amizade e o amor são formas de partilhar, diminuir, dar serenidade ou potenciar criativamente a solidão, mas o seu assobio ininterrupto continuará a fazer-se ouvir na ronda magnífica dos amigos ou no abraço redondo dos amantes. Ela perfura tudo. Recordá-lo é humanizar o nosso olhar sobre a realidade.
Também por esse motivo, gostei muito de encontrar as palavras lúcidas da escritora brasileira Nélida Pinon:
«A solidão buscada é o lugar onde melhor aprendi a encontrar-me.»

Texto de José Tolentino Mendonça, in "O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas".

  Informação técnica

Fotografia N.º: 4494
Publicação: 2022-07-17
Grupo: Paisagens
Câmara: KODAK DX6490
Abertura: f 5.6
Distância focal: 6.3 mm (35mm equiv.: 36 mm)
Velocidade do obturador: 1/1000 sec
Flash: Não Disparado

  Mais fotografias

A princesa e o sapo Três pedaços de tempo Quadrangular Ter um surfista A flor amarela Feita de maresia Mito da Fénix Convoco o grito

  Escolha da semana

Sayami.de - Trocken bis Feucht
Sayami.de - Trocken bis Feucht

  Comentários

Existem 10 pontos de vista. Quem será o próximo?
JRJMAAWLLR
01
J
Janita
em 2022-07-17 22:18:39

Muitas vezes estanos sozinhos debaixo dos Céus e SEM nada daquilo que amamos. Afinal, bastava apenas uma só pessoa mais, para quebrar a solidão... :(

02
R
Roadrunner
em 2022-07-18 09:51:03

E às vezes sozinhos ainda mais mal acompanhados. 😋

03
J
Janita
em 2022-07-18 16:56:45

Tem razão o Roadrunner!! Eu, por exemplo, tenho dias que não suporto a minha companhia... :P

04
M
Manu
em 2022-07-18 18:28:05

Eu sou das que convivo bem com a solidão, mesmo estando acompamhada, haja um céu e uma terra como o da foto, nunca dá para me sentir sozinha.

05
A
Ana Lúcia
em 2022-07-18 18:42:43

Uma praga dos nossos tempos...

06
A
Ana Lúcia
em 2022-07-18 22:03:23

Uma paisagem cheia de espaço onde podemos correr e sentir a liberdade do vento.

07
W
Willem
em 2022-07-20 18:28:32

A great and well chosen photo.

08
L
L Reis
em 2022-07-22 19:34:26

Graças a Deus que há esse ponto de passagem obrigatório! É que isto, às vezes é mesmo gente a mais, uma pessoa nem se consegue perceber a ela própria. (mau, mau é só mesmo quando o estar sozinho é um ponto de chegada que não se escolheu)
Este pedaço de mundo bicolor está mesmo a pedir uma poltrona para eu me sentar e ficar sozinha debaixo do céu! Tão bom!

09
L
Lis
em 2022-07-23 01:09:48

Amo essas fotos da natureza
céu azul, mar e verde das montanhas e dos prados.
Bonito posta da solidão! Gosto desse silêncio...

10
R
Remus
em 2022-10-13 21:32:37

Muito obrigado pelas vossas visitas e comentários. Ambos são sempre muito importantes.

Janita: Mas a solidão pode ser quebrada. Nem que seja ir para a praça ou juntar-nos a um grupo de actividades. O que é preciso é ter vontade e ânimo de a quebrar.
Willem: I appreciate your comments.